Governo avalia importar energia elétrica para preservar reservatórios de usinas

Governo avalia importar energia elétrica para preservar reservatórios de usinas

O Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), que reúne as principais autoridades da área, informou nesta quarta-feira que avalia aumentar a importação de eletricidade para preservar a água armazenada nos reservatórios usados para gerar energia no Brasil. Uma nova reunião será realizada em quinze dias para decidir quais medidas serão tomadas.

O comitê alertou que as previsões meteorológicas indicam que pode chover abaixo da média no Centro-Norte do Brasil e atraso no início da próxima estação chuvosa na região. Além disso, as chuvas previstas para a região Sul “estão bem abaixo da média histórica”, e por isso, a região passou a receber energia da região Sudeste/Centro-Oeste. Com esse quadro, o governo avalia medidas para economizar a água dos reservatórios.

“Diante disso, o CMSE deliberou por aprofundar a análise das condições de atendimento ao SIN (Sistema Interligado Nacional), com adoção de medidas para preservação dos estoques de armazenamento, tais como o aumento da importação internacional de energia a preços competitivos, a adoção de medidas de incentivo ao uso racional de energia e a majoração das transferências de energia entre os subsistemas. Foi reiterada a garantia do suprimento, porém chamou-se a atenção para o aumento dos custos da energia associado à utilização de recursos com preço final mais elevado”, informa nota divulgada pelo Ministério Minas e Energia.

O Brasil importa energia, principalmente, da Argentina e do Uruguai. Dados do Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) apontam para o baixo nível dos reservatórios no país. Na região Sul, está em 54,46%. No Norte, em 50,19%. No sistema Sudeste/Centro-Oeste, o nível de armazenamento é de 31,73%.

A situação mais crítica é no Nordeste, onde os reservatórios operam apenas com 12% da capacidade. Os casos mais graves são dos reservatórios do Rio São Francisco. A barragem de Sobradinho, maior reservatório artificial do planeta, está com apenas 7,38% da capacidade de armazenamento; e Três Marias, 17,81%.

Por isso, a principal atenção do governo está na adoção de medidas para preservar os estoques dos reservatórios das usinas hidrelétricas do Rio São Francisco, a fim de proporcionar maior segurança hídrica para a bacia até o final do período seco e para o próximo ano.

Fonte: O Globo
MANOEL VENTURA O Globo